Carregando... Aguarde...

Newsletter


Desidratados e farináceos (de FRUTAS e LEGUMES) e seus benefícios.

Postada em 22nd Dec 2011 @ 12:53 PM

Desidratados: alimentação prática e nutritiva

Os alimentos desidratados são resultado de uma técnica milenar utilizada para conservação.
Funciona assim: tanto a desidratação quanto a secagem é realizada, primeiro, com o aumento da temperatura do produto, o que força a evaporação da água contida em sua composição.
Quando isso ocorre, a umidade evaporada é removida graças à circulação do ar.
Entre as principais vantagens de frutas, verduras e legumes desidratados estão a grande redução de peso e volume dos mesmos, a facilidade de transporte e armazenamento - pois não necessitam de refrigeração - e a compatibilidade com outros ingredientes.
Sopas instantâneas com vegetais desidratados, sucos de frutas em pó, frutas desidratadas, tomate seco e cápsulas de mandioca estão entre as opções mais consumidas pelos brasileiros.

Alimento em pó
"Farelos, sementes e casca de ovo triturada são tão nutritivos quanto um prato cheio de legumes."
A afirmação é de especialistas que defendem a ingestão de alimentos desidratados para a manutenção de uma dieta equilibrada.
Para esses profissionais, o consumo de quantidades razoáveis de vitaminas, proteínas e carboidratos é possível, sem ter de devorar uma salada de jiló e berinjela.
"É impressionante o valor nutricional desses alimentos", afirma Themis Dovera, nutricionista e docente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
"Quando analisamos o abacaxi desidratado chegamos a uma fonte de bromelina concentrada", continua.
A bromelina é uma enzima que ajuda na digestão e no emagrecimento.
Às vezes, não é o legume propriamente dito que é aproveitado, mas as suas folhas.
No caso da mandioca e da batata-doce, por exemplo, as folhas - que são desidradatas e usadas na produção de cápsulas - são ricas em vitaminas A e C.
Algumas pitadas nas refeições diárias garantem o dobro da quantidade nutricional de um legume fresco ou cozido.
As cascas das frutas, que são aproveitadas no processo de desidratação, concentram mais micronutrientes, como ferro, cálcio e potássio, do que as polpas.

Poder concentrado: A pectina - encontrada nas frutas, nos vegetais, nos farelos de aveia e nas leguminosas - é preservada na desidratação e é uma importante aliada na dieta porque, em contato com o organismo, se transforma em um gel que dificulta a absorção de carboidratos e, conseqüentemente, de açúcares.
"Alguns nutrientes dos alimentos podem até ser potencializados durante o processo de desidratação", completa a nutricionista Cynthia Antonaccio, mestre pela Universidade de São Paulo e consultora nutricional.
Ela se refere ao licopeno, substância do tomate, que é otimizado com o aquecimento e atua como um potente antioxidante, que protege da ação dos radicais livres na célula e auxilia na redução do colesterol.
"Não há dúvida que os desidratados são uma ótima maneira de variar as cores do prato.
Por isso, podem auxiliar no aumento do consumo diário de vegetais e, de quebra, aumentar o bem-estar e manter a forma" continua.
Nas prateleiras dos supermercados, há várias alimentos que podem ser usados com segurança, como leite em pó, batatas desidratadas, frutas e verduras secas, ervas, carnes-secas (como charque), sopas e temperos em pó, barras de cereais com frutas secas, maçã desidratada crocante e tomate seco em conserva.
Como não precisam de refrigeração para armazenamento ou transporte, os desidratados representam uma opção viável e sempre disponível para se consumir diversos nutrientes.
Eles podem ser levados na bolsa para qualquer lugar ou ficar guardados por vários dias na gaveta.
Já a sopa instantânea de pacote, que exige apenas a mistura de água quente para reidratar, garante um lanche gostoso e de preparação rápida.
A facilidade de manuseio e a praticidade são argumentos mais que convincentes para aqueles que, por falta de tempo ou de vontade, não comem verduras, legumes e frutas suficientes.

De olho na quantidade: Mas essa praticidade leva muitos profissionais a considerarem o alimento desidratado até um risco para quem precisa emagrecer.
"Tudo que é picadinho, levinho e cabe no bolso pode ser uma excelente alternativa, mas também às vezes gera consumo abusivo," alerta Themis Dovera.
As frutas desidratadas equivalem, em média, a apenas 18% do seu peso original e alguns vegetais têm o peso reduzido em até 90%.
Mas, "vale lembrar que os alimentos desidratados têm uma maior densidade energética, ou seja, apresentam mais concentração de calorias em seu volume", diz Mariana Del Bosco Rodrigues, nutricionista do Departamento de Nutrição da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica.
"Está errado afirmar que 100 g de frutas secas equivalem a 100 g de frutas in natura em termos calóricos", ensina Themis.
"Para você ter certeza do valor calórico do desidratado, multiplique por três vezes o valor calórico do alimento fresco."

Por exemplo: uma maçã de 100 g tem em média 40 calorias, enquanto a mesma quantidade da desidratada terá 120 calorias.
Assim, moderação também vale aqui.


Trocas saudáveis
SUBSTITUTOS: shakes, sopas desidratadas, Whey Protein e omelete em pó.
Têm quantidades calórica e nutricional adequadas.
No entanto esses alimentos desidratados podem ser usados para substituir almoço ou jantar por períodos curtos (um a dois meses).
COMPLEMENTARES: frutas, legumes, verduras e temperos. Devem ser usados sempre como coadjuvantes das refeições.
Exemplos: pó de maracujá, pó da folha da goiaba (antidiarréico), pó da polpa da maçã (auxilia no emagrecimento), mix de frutas secas (rico em selênio, magnésio e silício), pó da couve (ótimo para dores articulares), cebola em flocos e alho em pó (ricos em alicina para melhorar a coagulação sangüínea), pó da casca do ovo (cálcio), pó de gergelim (fonte de cálcio 200 vezes mais potente que o leite), pó de linhaça (contém ômega 6 antiinflamatório).

Para ter uma alimentação balanceada o melhor é procurar a orientação de um nutricionista.

Fonte de referência: Revista Dieta Já

crédito: http://www.guiadanutricao.com/2009/09/desidratados-alimentacao-pratica-e.html